domingo, 30 de agosto de 2009

Bio-Ria de Aveiro 30 Agosto 2009

Com uma manha de domingo de muito calor, lá consegui desviar a Kat da praia para o BTT, com a promessa de uma volta quase em plano pelos esteiros da Ria.
Galeria de Fotos
Seguimos pela zona industrial de Albergaria em direcção a Canelas, depois ao longo da linha do Norte até ao Cais do Esteiro. Demos a volta pelo percurso de Salreu, que tem uma extensão de 8.5km, tem uma vista espectacular sobre a ria quando se pedala ao longo do paredão.

Regressados ao Cais do Esteiro, seguimos para outro percurso, em direcção ao canal da Foz do Rio Vouga. Após as fotos da praxe, seguimos em direcção a Fermelã, para enfrentar a única subida do dia até ao Sobreiro e finalmente Albergaria.

Final com muito calor, fizemos 50km com 270m de acumulado ascendente, a Kat está a subir de forma, mas é preciso continuar a treinar!

Assalto à Freita por alcatrão 29 Agosto 2009

Sábado foi dia para mais um potente treino em estrada até a Serra da Freita, muito sol logo de manhã, e muita motivação para enfrentar este desafio que estava planeado há algum tempo.

Eu e o Humberto arrancámos às 8h35 em direcção a Oliveira de Azeméis, a passagem na Branca é sempre complicada devido a inexistência de bermas e às muitas tampas e grelhas na via. A estrada para Vale de Cambra já tem alguma inclinação, mas depois de passarmos a localidade é que começamos a subir com mais intensidade pela N224 em direcção a Arouca.
Galeria de Fotos
Ao chegar a aldeia de Chão de Ave vira-se à direita para o Merujal, e começa logo ali o verdadeiro desafio do dia, subida com inclinação muito acentuada, a por à prova os ciclistas e as máquinas. A relação de velocidades da bicicleta não permite andamentos leves, com pedaleira compacta de 50-34 e cassete 25-12, o esforço da subida é enorme, e foi com alguma dificuldade que alcançamos a aldeia do Merujal.

O reabastecimento foi no restaurante do parque campismo do Merujal, sempre muito bem atendidos, parámos no miradouro da Frecha da Mizarela para as habituais fotos, e depois seguimos ao longo do planalto da espectacular Serra da Freita, antes de fazermos a alucinante descida para Felgueira.

A partir dai foi sempre a abrir até Arões, onde tivemos de enfrentar mais uma subida longa, o calor já apertava, mas depois foi rolar a alta velocidade até Rocas do Vouga, Sever do Vouga, Pessegueiro e finalmente Albergaria.

Foram 90km com 1590m de acumulado numa volta de ciclismo muito porreira e potente, os cerca de 5km de subida até ao Merujal são demolidores, mas a satisfação é enorme depois de ultrapassada a dificuldade.

domingo, 23 de agosto de 2009

Alombada 23 Agosto 2009

A manhã de domingo nublada e com algum frio proporcionou um passeio pelo caminho da Alombada, com a participação da Kat, que finalmente estreou a "sua" Giant Anthem e sapatilhas para pedais de encaixe e surpresa, não caiu!
Galeria de Fotos
Foi uma volta rolante, deu para por a conversa em dia, durante o percurso encontramos imensos betetistas, inclusive na ciclovia, realmente é uma infraestrutura que tem imensos utilizadores de todas as idades e sexos.

No sábado foi o treino de estrada, não tirei fotos, mas fica aqui o registo de 90km e 1400m acumulado, treino de montanha até Oliveira de Frades, com regresso por São João da Serra e Couto de Esteves. Foi uma volta potentissima, com muito calor e subidas para todos os gostos :)

domingo, 16 de agosto de 2009

Via Algarviana - Etapa IV - 10 Agosto 2009

Finalmente a ultima etapa programada, de Marmelete até ao Cabo de São Vicente, 75km com 825m de acumulado ascendente e 1150 descendente.

Maior parte do percurso muito rolante, o que permitiu a melhor média de todas as etapas, em termos de dificuldade sem duvida que é a mais fácil da Via Algarviana, o inicio em Marmelete é muito bonito com os caminhos ladeados de sobreiros, depois foi sempre a descer até a Barragem da Bravura.
Galeria de Fotos
Ao subir em alcatrão depois da barragem tive o encontro imediato com um enorme cão preto que estava a passear a dona sem coleira, e foi com alguma dificuldade que sai da situação ileso.

Passado o susto foi rolar até Bensafrim, Barão de São João e Vila do Bispo. Nos kms finais encontrei muita pedra no percurso, a certa altura os campos estavam todos cinzentos, parecia paisagem lunar. Quando surgiram os troços com alguma areia comecei a vislumbrar ao longe a ponta de Sagres, foi acelerar até ao final para completar este desafio que me propus.

Foram 4 dias de enorme satisfação por pedalar pelo interior Algarvio, praticamente despovoado, mas de enorme beleza e com paisagens que parecem imensas, muito desérticas nalgumas zonas, muito secas, acredito que na Primavera tenha outro sabor fazer a Via, com as inúmeras ribeiras secas que atravessei nessa altura cheias de água, mas acima de tudo foi uma experiência pessoal inesquecível. Um obrigado à Catarina pela paciência que teve a levar-me e recolher-me aos inícios e finais da Via, para o ano há mais...

Via Algarviana - Etapa III - 8 Agosto 2009

A 3ª etapa da Via Algarviana que efectuei foi entre Silves e Marmelete, ao longo de 50km com 2025m de acumulado ascendente e 1615m descendente.

Considerada a etapa rainha da Via Algarviana, embora de distância curta, mas com as subidas à Serra da Picota e à Serra da Foia, os 2 pontos mais altos do Algarve.

O inicio do percurso algo confuso em Silves, o engano levou-me a fazer uma subida que mais parecia uma parede, depois foi uma sucessão de pequenas subidas e descidas no planalto, tipo montanha russa e que provocaram grande desgaste.
Galeria de Fotos
Após muito sobe e desce finalmente comecei a subir a Serra da Picota, o inicio foi em terra, depois uns longos kms em alcatrão com grande inclinação. Voltei a entrar na terra, por uns percursos muito técnicos, um simpático camponês ofereceu-me água e umas maçãs, o que me animou a subir quase até ao posto de observação da serra, donde se consegue ver uma boa parte do Algarve (Portimão).

Com Monchique a vista, foi descer por uns fantásticos single-tracks, até a bonita localidade, depois confusão no track, a indicar por sentidos proibidos, nitidamente esta parte é unicamente para percurso pedestre. A saida de Monchique é feita por um espectacular bosque, mas pouco ciclável, mais uma vez enorme desgaste para ultrapassar esta parte.

Finalmente a subida a serra da Foia, em estradão ingreme, onde a maior dificuldade foi o imenso nevoeiro, vento e muito frio que comecei a sentir. Esta serra é sem duvida muito bonita, mas não naquelas condições. Depois de descer para a zona das eólicas, foi rolar até a aldeia de Marmelete.

Etapa muito dura, com um final sob condições extremas de frio e cansaço, com a agravante de ter sido feita depois de almoço.

Via Algarviana - Etapa II - 6 Agosto 2009

A 2ª etapa da Via Algarviana foi entre Barranco do Velho e Silves, numa extensão de 80km, 1550m de acumulado ascendente e 2020m descendente.

Na minha opinião foi o percurso mais bonito, principalmente na zona de Salir e Alte, não esquecendo a imensa bacia da Barragem do Funcho. Piso rolante e equilibrado em termos de subidas e descidas, paisagem fantástica em Salir com a impressionante Serra dos Gaios ao longe e os campos com uma terra muito vermelha.
Galeria de Fotos
Em Alte tive o prazer de fazer uns single-tracks muito porreiros, com passagem por um autentico túnel feito de arbustos.Até São Bartololeu de Messines foi sempre em alta velocidade, parei apenas para abastecer com as sumarentas laranjas algarvias.

A parte final foi ao longo da Barragem do Funcho, com uma subida final muito dura para o planalto, depois foi praticamente a rolar até Silves, onde fui presenteado com mais uns excelentes singles-tracks.

Excelente etapa , com boa média final, paisagens fantásticas, os inúmeros elementos caninos ao longo do percurso trouxeram uma adrenalina extra que não era necessária...

Via Algarviana - Etapa I - 3 Agosto 2009

Em Alcoutim começa a Via Algarviana, a GR13 com 300km até ao Cabo de São Vicente. O percurso idealizado e marcado pela associação Almargem e os Algarve Walkers tem com o objectivo dar a conhecer e dinamizar o interior Algarvio.

Durante as férias propus-me fazer o máximo da Via Algarviana em 4 dias, fica aqui o registo das minhas aventuras a solo pelas serras Algarvias, com a 1ª etapa a começar em Alcoutim e a acabar no Cachopo, 75km com 2000m acumulado ascendente e 1665m descendente.

O inicio do percurso
acompanha o rio Guadiana ao longo de 4km, para depois seguir para o interior Algarvio. Foi uma sucessão de aldeias, Cortes Pereiras, Afonso Vicente, Corte Tabelião, Corte da Seda, Casa Branca, todas com o forno comunitário no largo da aldeia, mas aldeias quase desprovidas de gentes.
Galeria de Fotos
A 1ª dificuldade surgiu na travessia da Ribeira Foupana, um mar de pedras e tojos, e logo depois a longa e difícil subida para Corte de São Tomé. Aos 38km cheguei a aldeia de Furnazinhas, o trilho entra na aldeia pelo alto do monte, sendo necessário descer um empedrado muito bonito. Na tasca da aldeia foi o reforço.

Até a aldeia de Vaqueiros foi sempre a rolar, percurso rápido em planalto, onde o vento fresco ajudava a progressão. A aldeia de Vaqueiros é muito bonita e bem arranjada, na saída encontrei um poço em que tive de dar a manivela para tirar água, e que serviu quase como duche, enquanto um habitante local dormia à sombra de um sobreiro :)

De Vaqueiros até à aldeia de Cachopo são 15km, pensava eu que seria rápido lá chegar, puro engano, tive de subir algumas paredes bem difíceis, debaixo de um calor abrasador e sem aquele ar fresco que me tinha acompanhado da parte da manhã, o que provocou um desgaste enorme.

Final de etapa muito duro, devido ao calor, à paisagem muito seca e árida, inúmeras ribeiras mas todas secas. Foram 75km em que apenas os 15km finais foram verdadeiramente difíceis de fazer, mas passado o cansaço, ficou a satisfação de ter conhecido mais uma zona fantástica de Portugal.