domingo, 30 de maio de 2010

Eolica, Alfusqueiro e Marnel

Terminada a minha "época" de maratonas recomecei com as voltas às 8h30 no ponto de encontro habitual em frente ao cinema, desta feita com o amigo Fernando.
Galeria de Fotos
Como o Fernando não conhecia a descida do Ventoso para o rio Alfusqueiro foi esse o destino, com passagem na Eólica de Doninhas e pela espectacular aldeia de Seixo, com os caminhos a fazer jus ao nome tal foi a calhoada que levei numa canela.

Os singles tracks da pista estão intratáveis com pedras muito aguçadas e soltas, mas é uma enorme adrenalina fazer a descida e no final ser presenteado com a travessia do Rio Alfusqueiro que vai bastante vazio e com obras de requalificação das margens.

Depois de subir a Á-dos-Ferreiros seguimos para a bonita garganta do Rio Marnel sempre muito verde e super divertida de fazer. O final foi ao longo do Rio Vouga pela margem direita até Sernada.

Foram 54km e 1120m de acumulado ascendente na excelente companhia do Fernando, a minha forma física não permitiu um ritmo elevado mas foi uma manhã muito bem passada. Espero dar uma volta de estrada na próxima quinta feira de manhã.

domingo, 23 de maio de 2010

Rotas do Marão 23 Maio 2010

"Para lá do Marão mandam os que lá estão" é assim o ditado popular que simboliza e de que maneira a dureza e isolamento daquelas serras e gentes.

O José Carlos do Aventura Marão Clube desafiou-me a participar na maratona e como sempre quis conhecer o Marão fui com o meu afilhado Pedro Miguel enfrentar as impressionantes serras e o calor abrasador que se fez sentir.
Galeria de Fotos
A entrega dos dorsais foi rápida, partida a horas e depois da volta à bonita cidade de Amarante foram logo 5km de subida íngreme em alcatrão. Aos 15km depois de uma incursão por um caminho mais técnico deu-se a separação da maratona da meia. Comecei então a minha cruzada solitária serra acima por estradões rápidos. O 1º reforço juntou novamente as duas provas para logo a seguir se separarem e foi continuar a subir já no "verdadeiro" Marão.

Depois de cruzar o IP4 veio a parte do percurso que
mais gostei, uma paisagem rochosa impressionante pintada de cores muito vivas das flores primaveris. Até ao km45 foi sempre a subir, finalmente comecei a descer até parar no 2º reforço cerca do km52 e apenas com 1400m de acumulado. A partir daí o percurso foi muito duro, com uma sucessão de subidas e descidas curtas, muitos single-tracks, muito calor, nessa parte mais difícil tive a preciosa ajuda e apoio de um companheiro do Porto, e foi com dificuldade mas muita alegria que cruzei a meta.

Gostei da organização, esteve bem nos reforços e apoio ao longo do percurso, o almoço estava bom e em quantidade, devem rever o posicionamento de algumas fitas que estavam em zonas escondidas nos cortes, assim como a dureza final do percurso. Contabilizei 78.8km e 2114m de acumulado ascendente. De realçar a simpatia da organização, as meninas do ultimo controlo deram-me os parabéns por ter conseguido terminar a prova!

De realçar a prestação do Pedro Miguel, um quase estreante nestas andanças do BTT, mas que conseguiu completar a meia maratona sem registo de incidentes, agora é preciso continuar a treinar.

domingo, 16 de maio de 2010

Serra do Ladário 16 Maio 2010

Regresso à espectacular Serra do Ladário, encontro em frente ao cinema as 8h25 com o Humberto e seguimos rapidamente para Sernada onde já estavam prontos para arrancar o Pedro da Guarda, o Kemp e os colegas.

Já em Carvoeiro encontrámos o Fausto e seguimos todos pela ciclo via até Paradela e depois pela antiga linha até Cedrim. Alguns já conheciam a calçada romana e desmontaram logo ali, o companheiro mais jovem tentou subir e quase que surpreendeu!
Galeria de Fotos
Como tínhamos horas contadas não parámos na aldeia do Castelo, em vez disso seguimos para a zona da casa do guarda do Ladário. Devido a um engano fizemos a encosta norte da serra, tem paisagens fantásticas sobre o vale do Vouga e as serras do Arestal, Freita e Farves.

Após a aldeia de Várzea foi o desafio do dia, uma subida super íngreme em alcatrão até à albufeira da Vessada do Salgueiro. O pessoal foi tirar uma fotos ao marco geodésico e depois foi sempre a abrir passando em Lameiro Longo para logo entrar nas potentes descidas até à zona industrial de Cedrim.

O caminho de Alombada já era conhecido de toda a gente, foi sempre a rolar até Sernada, e no meu caso e do Humberto até Albergaria num total de 60km e 1218m de acumulado.

Foi uma manhã muito bem passada na companhia de malta que tem prazer de pedalar e de novos desafios, fica a promessa de um nocturno assim que se proporcionar. No próximo domingo vou pedalar até ao Marão.

domingo, 9 de maio de 2010

Eólica 9 Maio 2010

Adiada a participação em Idanha-a-Nova para 2011 e apesar da chuva que ameaçava cair às 9h fui ter com o Humberto ao ponto de encontro habitual em frente ao cinema. Em Carvoeiro encontrámos o Álvaro Rui e o Fausto e seguimos juntos até à eólica de Doninhas.
Galeria de Fotos
Arranjaram o caminho no corte para a eólica antes da ponte da ribeira da Alombada, agora é muito mais fácil de subir mas
certamente perdeu aquela adrenalina que dava ao descer num dos poucos caminhos técnicos que temos na zona.

Após o reforço junto ao túnel iniciamos a ultima parte da subida para a eólica e foi quando o Álvaro partiu a corrente e mesmo parado conseguiu furar :) .Conclusão, lá esteve o porta aviões virado ao contrário por 2x.

A descida da eólica foi por um caminho ao longo da A25, era parte do track que levava,
em estradões muito rápidos. Regressamos depois pela casa do guarda e caminho da Alombada. Foram 39km e 850m de acumulado, falta agora experimentar subir até a eólica pela descida de hoje...

sábado, 1 de maio de 2010

Idade da Pedra - Vermoil 1 Maio 2010

Mais uma vez participei no desafio do BTTralhos este ano chamado "A Idade da Pedra" na excelente companhia do amigo Fernando Gonçalves nos 110km e quase 3000m de acumulado ascendente.
Galeria de Fotos
A expectativa era grande, a organização deste evento gratuito tinha avisado que este ano o percurso era mais técnico e como o nome indicava com muita pedra. Após o briefing o arranque foi cerca das 8h50, o tempo estava nublado e ameaçava chuva. Os 1ºs km foram ao longo da linha do Norte antes de entramos no monte e logo com uma subida íngreme que engarrafou com os cerca de 150 participantes.

Começaram então os single tracks muito escorregadios a exigir grande atenção. Após atravessarmos o IC8 entrámos na Serra do Sicó e subimos até às eólicas. Até à aldeia de Poios o percurso era conhecido do ano passado, realce para o bonito vale com o mesmo nome. Com vista para a Capela da Sra. da Estrela continuamos por montes e vales até à Capela de S. António de Degracia, local com decoração estranha.

Depois de passar as eólicas da Serra do Rabaçal foi sempre a abrir até às espectaculares Buracas do Casmilo, na minha opinião o ponto "alto" deste desafio, o vale onde se situam é das zonas mais bonitas de Portugal.

O single track antes da aldeia de Ordem foi dos melhores, muito perigoso devido à proximidade da ribanceira, mas super divertido. Depois foi pedalar até ao Rabaçal para o merecido almoço decorridos "apenas" 46km muito duros. Após a bela sopa e chanfana, pensava eu que seria rolar até Ansião, puro engano, tivemos de contornar o castelo do Rabaçal situado no monte Germanelo.

Em Ansião as forças já eram poucas mas foi decidido continuar o track até ao fim, a destacar o percurso já conhecido da maratona de Abiul ao longo do rio Nabão, e os inumeros single tracks, assim como um sobe e desce final duro.

No final tivemos direito a um reconfortante banho quente e um lanche de pizza. Quero agradecer aos BTTralhos pelo excelente desafio que nos proporcionaram, percurso duro e técnico mas que deu imenso prazer fazer. Ao Fernando um obrigado pela companhia, paciência em aturar as minhas queixas :), não me apresentei na melhor forma física, mas foi prova superada para ambos. Venha o próximo! Fica aqui o link com as fotos.